Notícias
Últimas notícias
Consumo de água de fontes alternativas traz graves riscos à saúde
Levantamento realizado pela Guabiruba Saneamento aponta que existem mais de mil imóveis na cidade que fazem uso de fontes alternativas irregulares

O antigo ditado já alerta: as aparências enganam. A ideia vale também para os cuidados no consumo da água. Muitas vezes as fontes alternativas de abastecimento de água, como poços e ponteiras, têm aparência límpida. Contudo, de forma imperceptível a olho nu, apresentam problemas que trazem enormes riscos à saúde.

De acordo com o Instituto Trata Brasil, em estudo conjunto com a USP, o país tem 2,5 milhões de poços artesianos. Quase 90% são clandestinos, desprovidos de qualquer tipo de licenciamento dos órgãos ambientais e de vigilância sanitária. Isso leva à superexploração do recurso hídrico, fazendo com que os níveis das reservas se rebaixem significativamente, pois as captações são descontroladas, mal geridas e muitas vezes excedem as recargas naturais dos aquíferos. Os especialistas advertem para dois mitos: o da água subterrânea como recurso infinito e também que se trata de um produto com qualidade sempre superior àquele presente na rede pública.

Em artigo publicado pelo promotor de Justiça do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Eduardo Coral Viegas, são citados os riscos invisíveis presentes neste tipo de fonte, resultantes da infiltração de agentes contaminantes presentes na superfície, de natureza biológica ou química. São eles o chorume, agrotóxicos, esgotos a céu aberto e oriundos de fossas, líquidos da mineração, descartes da indústria, vazamentos em postos de combustíveis.

“As causas biológicas provocam doenças de veiculação hídrica que aparecem rapidamente, tais como diarreia, disenteria, cólera, febre tifoide e hepatite. Já as químicas podem nem ser de diagnóstico associado ao consumo de água e aparecer ao longo do tempo, podendo-se citar alguns resultados danosos para o homem: transtornos neurológicos, reprodutivos, imunológicos, insuficiência renal e hepática, doenças pulmonares e respiratórias, cânceres”, adverte o promotor. Eduardo Coral Viegas lembra ainda que as empresas de saneamento são obrigadas as fazer as análises previstas em portaria do Ministério da Saúde, com a periodicidade ali estabelecida.

Sério problema em Guabiruba

Levantamento realizado pela Guabiruba Saneamento constatou que existem mais de mil imóveis que, apesar de possuírem rede pública de abastecimento disponível, fazem uso de fontes alternativas irregulares. Em análises laboratoriais já realizadas pela empresa, foram identificados locais onde a água oriunda de poços ou nascentes apresentou grande concentração de coliformes e flúor naturalmente presente. A presença de coliformes pela falta de correta desinfecção da água indica o risco para doenças de veiculação hídrica como a cólera, hepatite infecciosa tipo A e B, febre tifóide, gastroenterite, ascaridíase, amebíase e esquistossomose.

O risco principal do excesso de flúor é a fluorose, que se caracteriza como manchas brancas nos dentes ou deformações. A situação é mais comum em crianças com dentes em formação e, com o tempo, as manchas podem acabar escurecendo. Em casos mais graves, a fluorose pode causar fraturas e até a queda dos dentes por completo. Outros locais do organismo também podem acabar afetados, como o estômago, por exemplo. Algumas pesquisas também indicam problemas ósseos e aumento da possibilidade de tumores malignos.

Descontos para incentivar conexão a rede pública de abastecimento de água         

A partir do mês de março, a Guabiruba Saneamento passou a oferecer condições especiais de negociação para clientes que possuem rede pública de água disponível, porém, fazem uso exclusivo de fontes alternativas.

O superintendente da Concessionária, Guilherme Paladini, explicou a gravidade da situação atual do município: “Como profissionais do setor, temos uma preocupação muito grande com as pessoas que fazem uso de fontes alternativas para fins potáveis e se expõem a riscos extremamente graves para a saúde. Por isso, será oferecido um desconto de até 50% na taxa de ligação de água, além de parcelamento extremamente atrativo. Assim, estamos fazendo a nossa parte para que os moradores tenham água segura e potável para o seu consumo”, detalha.

Para mais informações, o cliente pode fazer contato em horário comercial através dos canais de atendimento da Guabiruba Saneamento: SAC: 0800 942 5571. WhatsApp: (47) 99143-1297 (apenas mensagem de texto). Loja Comercial: Rua José Dirschnabel nº 405 – Centro

Investimentos e monitoramento  

De acordo com a Guabiruba Saneamento, a empresa investe e trabalha de forma permanente na melhoria da infraestrutura, para garantir a efetiva qualidade da água distribuída à população. Toda água produzida em suas unidades operacionais passa por rigorosos testes de qualidade e monitoramento, desde a estação de tratamento até a ligação de água de seus clientes, 24 horas por dia. Além deste automonitoramento, a própria Vigilância Sanitária realiza mensalmente, sem aviso prévio, coleta e análises para fiscalização, além do controle da água fornecida. São centenas de análises e parâmetros controlados para garantir a segurança da água fornecida à população de Guabiruba.

Assessoria de imprensa

Tem interesse em receber nossas notícias
e ficar por dentro de tudo
que acontece em nossa empresa?
Solicite para nossa assesoria de imprensa!
comunicacao@grupoatlantis.com.br
(48) 3053 2565